23 de janeiro de 2012Crônica Motor

Barrichello quarentão

Parace que foi outro dia que eu liguei meu televisor preto e branco na extinta TV Manchete e vi uma apresentação impecável de um garoto recém-saído do kart numa prova de Fórmula Ford. Eu tinha 13 anos (12, na verdade, pois só faria 13 dali a três semanas, em maio), e aquela prova sob chuva nas ruas de Florianópolis foi o primeiro contato que tive com a figura de Rubens Barrichello. Dali em diante, foram incontáveis as vezes em que li o nome do piloto na imprensa, geralmente associado aos seus desempenhos arrasadores nas categorias de base da Europa, rumo à Fórmula 1.

Só vim conhecê-lo pessoalmente em 2001, quando fui escalado por uma equipe para fotografar a edição daquele ano das 500 Milhas de Kart, na Granja Viana. Já trabalhando como jornalista especializado, alguns anos mais tarde, passamos a ter mais contato e até disputamos corridas de kart – às vezes numa brincadeira dele para jornalistas, outras durante as tais 500 Milhas, onde abusados profissionais de imprensa insistem, ano após ano, em inscrever uma equipe.

Veterano da categoria máxima do automobilismo, Rubens vive em 2012 mais um dos muitos desafios de sua carreira. Justamente a temporada na qual ele completa 40 anos de idade. Um aniversário celebrado na pista de Indianápolis, onde ele disputará, no próximo domingo, outra prova de 500 milhas. Mas não de kart, e sim em superpotentes carros da Fórmula Indy.

Rubens, aquele menino de franja que ganhou num Fórmula Ford em Florianópolis, 23 anos atrás, está quarentão. Sem franja, é verdade, mas muito mais maduro e de bem com a vida. Uma trajetória feita de altos e baixos, fruto dos sonhos de alguém que começou cedinho no kart dado de presente pelo avô, e que corria com o nome do colégio estampado na carenagem do kart, em troca das mensalidades. De alguém que passou 19 anos na Fórmula 1, prova indiscutível de sua capacidade, e que aceitou correndo o convite do amigo-irmão Tony Kanaan para que experimentassse o mundo dos circuitos ovais.

O GLOBOESPORTE.COM preparou um breve resumo da carreira de Barrichello, na forma de linha do tempo. Clique e veja. No mais, só me resta desejar um ótimo aniversário a Rubens, e que a parte de sua vida que “começa aos quarenta” venha acompanhada de muita sorte no templo norte-americano do automobilismo.

Esta entrada foi escrita emCrônica Motor e tags , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.

Comentar

Seu email nunca será publicado ou distribuído. Campos requeridos estão marcados com *

*
*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Jornalista, 35, blogueiro, carioca, taurino, apaixonado e pseudopiloto de kart.