28 de dezembro de 2011Crônica Motor

Retrospectiva 2011: Barrichello Kart Day

Descontraído e de bem com a vida, Rubens organizou mais um Barrichello Kart Day

Entra ano, sai ano, e a gente sempre fala a mesma coisa: que não é todo dia que se tem a oportunidade de dividir a pista com um piloto de Fórmula 1, ainda mais usando um equipamento similar ao dele. Na terceira edição do Barrichello Kart Day, evento que ocorre desde 2009 no kartódromo da Granja Viana, em São Paulo, este blogueiro esteve mais uma vez entre os jornalistas convidados para, como o próprio piloto diz, sentir na pele aquilo que ele vive no dia a dia. Só que, desta vez, foi diferente, por duas razões diferentes.

A primeira delas é que estive no evento não mais como um profissional de televisão, e sim de Internet. O que, no fim das contas, acabou contribuindo para que eu e o videorreporter Renato Cury produzíssemos um material muito legal para o GLOBOESPORTE.COM, mesclando linguagens e trazendo os detalhes do evento em fotos, texto e vídeo aos leitores do site. Já a segunda mudança foi providenciada pelo próprio Rubens, que inovou no formato da competição.

O piloto Rubens Barrichello e seus convidados, já de macacão, antes da primeira bateria do Barrichello Kart Day 2011

Ao contrário das edições anteriores, onde foram realizadas baterias “todos contra todos”, neste ano a coisa foi diferente. Ranqueados, os jornalistas convidados foram divididos em duas turmas. A dos que andam de kart com frequência, e até já possuem capacetes personalizados, e a dos que não têm tanta intimidade assim com as máquinas de 13 cavalos de potência. Assim, os bravos repórteres do site se viram em lados diferentes nesta primeira fase. Eu, que ando de kart com frequência, acabei caindo na dos “graduados”, embora estivesse longe de ser o mais forte do grid. Já o Renato, com menos experiência, foi para a outra bateria.

A brincadeira começou pela corrida disputada pelos jornalistas que pensam que são pilotos e por aqueles que têm certeza disso. Assim que fomos liberados para a tomada de tempos, uma leve chuva pegou todos de surpresa, deixando a pista da Granja Viana um verdadeiro sabão. A garoa não durou nem cinco minutos, mas foi suficiente para provocar algumas rodadas e ferrar o pessoal que demorou mais a deixar os boxes, como foi meu caso.

Esta bateria valia vaga na grande final, disputada em voltas lançadas. Os seis melhores classificados teriam o direito de tentar se aproximar do tempo estabelecido por Barrichello, usando o mesmo kart, com o mesmo peso. Para mim, essa passou perto. Depois de largar em oitavo e andar boa parte da corrida em sexto, fui superado pelo colega Bruno Vicaria nas voltas finais, com a pista mais seca, e terminei em sétimo lugar.

Câmera no capacete e viseira embaçada logo nas voltas de classificação, estragadas por uma chuva leve

Porém, na bateria dos iniciantes, que contou com figuras como os repórteres da TV Globo e do SporTV, Ivan Moré e Felipe Diniz, e do comentarista de futebol Caio Ribeiro, meu companheiro de equipe fez bonito. Com mais aderência no asfalto, Renato Cury largou em quinto, ganhou posições e, por pouco, não terminou na terceira posição. Uma pequena saída de pista no finalzinho o relegou novamente ao quinto posto.

Como os dez melhores desta bateria se uniriam aos classificados do sétimo ao décimo lugares da outra prova para uma nova bateria, Renato e eu alinharíamos no mesmo grid para salvar as honras da casa. Fomos, então, buscar dicas de Rubens Barrichello para não deixar escapar a chance de faturar um troféu. O veterano piloto orientou:

– A pista já está seca, mas qualquer erro num kart como este te prejudica, porque ele demora a retomar velocidade. O segredo é guiar com suavidade, para errar o menos possível – ensinou o piloto da Williams, que nos intervalos das baterias aproveitou para dar umas voltas com os filhos Fernando e Eduardo pela pista de Cotia, na região metropolitana de São Paulo.

Rubens Barrichello dá conselhos ao repórter Renato Cury antes da bateria de encerramento do evento

Enfim, as 14 “feras” deixaram os boxes, temendo uma nova pancada e chuva – fator que, por sinal, não havia incomodado os pilotos-jornalistas nas edições anteriores do evento. Nesta prova, os três primeiros levariam troféus, assim como na disputa por voltas lançadas entre os melhores do dia. O objetivo, então, era subir ao pódio, e o sonho pareceu mais próximo quando formaram o grid de largada, com os “pilotos” do GLOBOESPORTE.COM posicionados no quarto e no sexto lugares. Pela primeira vez desde que a brincadeira começou, me vi com reais chances de voltar com um troféu para casa. Seria desta vez?

Uma boa largada e belas ultrapassagens aumentaram minha esperança no começo da prova. Depois de superar Felipe Motta, ganhei a posição de Luiz Vicente no fim da reta principal e cheguei a ocupar o segundo lugar ainda nas voltas iniciais. Porém, a falta de potência do kart nas retas em relação aos concorrentes tornou impraticável a tarefa de sustentar o segundo posto nos trechos de maior velocidade. Sem cometer erros e fazendo o que era possível naquelas circunstâncias, vi ambos recuperarem suas posições, na bateria vencida por Lucas Santochi. Renato terminou em oitavo lugar.

Os repórteres do GLOBOESPORTE.COM fazem boa largada na bateria final do Barrichello Kart Day 2011

Se por um lado os cobiçados troféus não vieram, restaram as risadas no momento em que os seis melhores da bateria principal foram para suas voltas lançadas. Descontraído, Barrichello fez sua volta, estabeleceu o tempo, e a partir dali quem chegasse mais perto dele seria declarado o vencedor. Com diferenças nos décimos de segundo entre os seis postulantes ao título da tarde, Rafael Munhoz levou a melhor, ficando a menos de um segundo de Rubinho, um tempo verdadeiramente surpreendente.

Contudo, antes que alguém tirasse algum sarro do anfitrião sobre o desempenho de seus convidados, ele colocou o capacete e voltou à pista, baixando a própria marca em oito décimos logo na primeira tentativa. O suficiente para fazer todos ali entenderem que, como pilotos, são ótimos jornalistas.

Esta entrada foi escrita emCrônica Motor e tags , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.

Comentar

Seu email nunca será publicado ou distribuído. Campos requeridos estão marcados com *

*
*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Jornalista, 35, blogueiro, carioca, taurino, apaixonado e pseudopiloto de kart.